Scroll Top

SAÚDE

Glaucoma: aplicar o colírio corretamente é fundamental no tratamento da doença

Você sabe aplicar colírio de forma correta? Embora o procedimento pareça muito simples, pesquisas médicas comprovam que 71% das pessoas consegue acertar a gota no olho, mas apenas 39% não deixam o frasco tocar no olho ou na pálpebra.

O colírio é a principal forma de tratamento do glaucoma que é a segunda maior causa de cegueira em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Dessa forma, pingar corretamente as gotas é o que irá controlar a pressão intraocular e evitar mais danos nos nervos ópticos.

Diferentemente da catarata (que é a doença que mais cega mundialmente segundo a OMS), quando uma pessoa perde a visão por glaucoma esse quadro é irreversível. Isso porque os danos causados nos nervos que conduzem as imagens dos olhos para o cérebro não podem ser reparados. Na maioria dos casos, os colírios controlam bem a doença, estabilizando o quadro e evitando a cegueira.

Embora seja um remédio poderoso, muitas pessoas não dão a atenção devida no momento da aplicação do colírio. Os oftalmologistas alertam que não colocar corretamente é quase tão prejudicial quanto não usar.

Dentro de cada colírio temos diferentes remédios com efeito comprovado na redução da pressão do olho. Cada droga usada no tratamento reduz a pressão em cerca de 30% e hoje em dia temos várias drogas disponíveis para o tratamento.

Algumas pessoas tem dificuldade em pingar o colírio, por problemas motores da idade ou causados por doenças como a artrite reumatoide, nestes casos uma segunda pessoa deve ajudar na colocação dos colírios.

Também é útil associar a colocação do colírio a uma atividade do dia, ou mesmo colocar um despertador para lembrar o paciente, já que estudos indicam que é muito comum que o paciente esqueça de usar o colírio na hora certa.

Erros mais comuns na hora de aplicar colírio

Embalagem toca a vista do paciente

Bater com o frasco no olhos é um dos equívocos mais recorrentes na hora de pingar as gotas. Mas, existem outros erros frequentes que atrapalham o tratamento de glaucoma e outras doenças que o colírio é o principal remédio.

Lágrimas de colírio

Um dos erros mais recorrentes é “errar” a gota que cai fora dos olhos ou pingar no olho e em seguida apertar as pálpebras com força, causando a saída do colírio. Para que funcione bem o colírio deve ficar alguns segundos em contato com os olhos. A maneira ideal é pingar o colírio e fechar os olhos levemente por cerca de 15 segundos antes de piscar ou secar o excesso com um lenço de papel.

Mais gotas do que o prescrito

Também não adianta pingar 2 ou 3 gotas de cada vez já que isso vai desperdiçar colírio e pode até aumentar os efeitos colaterais. Pingar mais gotas não aumenta o efeito do tratamento.

Como pingar colírio corretamente

Na hora de aplicar, é importante garantir que uma gota caiu no olho e em seguida fechar os olhos suavemente por alguns segundos.=

Confira a forma adequada de pingar colírios:

  • Lave as mãos
  • Coloque a cabeça levemente para trás
  • Olhe para cima
  • Com as pontas dos dedos, puxe a pálpebra inferior para baixo (até formar uma pequena bolsa)
  • Pingue apenas uma gota em cada olho
  • Faça isso suavemente sem que o frasco machuque seus olhos
  • Feche os olhos, por 10 a 30 segundos, sem forçá-los

Artigo escrito pela equipe da Clínica dos Olhos Belfort. Este artigo e vídeo contêm apenas informações gerais sobre doenças oculares. Este texto não substitui a avaliação por oftalmologista.

Além disso, as informações existentes neste artigo, são de responsabilidade de seus idealizadores.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.